O Brasil apresenta uma grande diversidade de espécies florestais nativas, distribuídas por todo o território nacional. Segundo o Ministério do Meio Ambiente existem cerca 55.000 a 60.000 espécies, distribuídas em diferentes biomas. Muitas espécies florestais produzem sementes que, embora viáveis possuindo condições ambientais favoráveis para germinação, não germinam.

As sementes que não germinam podem permanecer viáveis por longos períodos no banco de sementes do solo com germinação lenta e irregular. Este fenômeno, conhecido como dormência, corresponde ao estado em que sementes aptas a germinar suspendem temporariamente o processo de desenvolvimento até que todas as condições externas ordinariamente consideradas necessárias ao seu crescimento sejam atendidas.

A utilização de tratamento hormonal para quebra de dormência, tratamentos térmicos, químicos (ácido sulfúrico ou álcool), elétricos ou pressão, abrasão e armazenamento ou outras substâncias que estimulam a germinação, são comumente utilizado em sementes que possuem dificuldade na germinação.

Normalmente estes métodos são utilizados para sementes que possuem dormência endógena, embrionária ou fisiológica.

 

Viveiro Lua Nova - Estrada Manoel Guilherme,2.887, bairro: Pouso Alegre , Miguel Pereira, RJ,  CEP 26900-000

Desenvolvimento :  TAG Projetos